Você tem alguma dúvida?

Não. Os cursos do IFRS são gratuitos, não tem nenhuma mensalidade. Existe apenas o custo da taxa de inscrição no Processo Seletivo de estudantes.

Todos os cursos técnicos e superiores com vagas abertas são presenciais. Alguns podem ter parte da carga horária a distância e essa informação consta do edital do Processo Seletivo.

Apenas na Educação de Jovens e Adultos (EJA) a idade é um requisito. Para ingressar em cursos EJA, é preciso ter no mínimo 18 anos, além da escolaridade exigida pelo tipo de curso (no caso dos cursos EJA ofertados pelo IFRS, é preciso ter o ensino fundamental completo). Para os demais cursos, o pré-requisito para ingresso é a escolaridade. É preciso ter ensino fundamental completo para ingressar nos técnicos integrados e concomitantes ao ensino médio. É necessário ter ensino médio completo para ingressar nos superiores de graduação (bacharelados, licenciaturas e superiores de tecnologia) e nos subsequentes ao ensino médio.

Não. As únicas exigências são com relação à formação do candidato. Para fazer um curso técnico integrado ao médio, é preciso ter concluído o ensino fundamental; para fazer um curso técnico concomitante ao ensino médio, é preciso estar cursando o ensino médio em outra escola; e para um curso técnico subsequente ou um curso superior, é preciso já ter concluído o ensino médio.

Editais são documentos que detalham um assunto. No caso do processo seletivo de estudantes, apresentam informações e etapas da seleção, como período de inscrição, cronograma com datas importantes, como se inscrever etc. É importante a leitura completa do documento, pois nele você vai encontrar a resposta para a maioria das suas dúvidas.

Nos cursos técnicos integrados ao ensino médio, o estudante faz o ensino médio e o curso técnico ao mesmo tempo no IFRS. Para candidatar-se, é necessário já ter concluído ou estar concluindo o 9º ano do ensino fundamental ou equivalente.

Nesse caso, você pode tentar um curso na modalidade concomitante, direcionado para alunos que estão cursando o ensino médio em outra escola. No IFRS, você fará apenas as disciplinas técnicas.

Sim. Mas se for aprovado e quiser fazer o curso, terá de começar no início do curso, ou seja, refazer o primeiro ano.

Sim. Caso já tenha concluído o ensino médio (ou esteja terminando o 3º ano), você poderá tentar um curso técnico na modalidade subsequente ou na modalidade concomitante/subsequente ao ensino médio ou, ainda, um curso superior de graduação. Para saber mais sobre cada um, acesse nesse site mais informações sobre os tipos de cursos.

É um curso que une o ensino médio e o técnico profissional ao mesmo tempo no IFRS. Ao concluir, o estudante receberá certificado de conclusão do ensino médio e diploma do curso técnico.

É um curso no qual o estudante faz as disciplinas do currículo normal do ensino médio em outra escola (pública ou privada) e as disciplinas do curso técnico no IFRS.

É um curso com formação técnica oferecido somente a quem já concluiu o ensino médio. O estudante receberá diploma de profissionalização em nível técnico após concluir o curso.

No IFRS, é um curso que une o ensino médio e o técnico profissional ao mesmo tempo e é exclusivo para estudantes com 18 anos ou mais, sem limite de idade. O único requisito para participar da seleção é ter concluído o ensino fundamental. Neste Processo Seletivo 2023/1, a seleção para todas as vagas EJA será por palestra e entrevista.

Os cursos de bacharelado são de nível graduação, ou seja, dão uma formação superior para quem já concluiu o ensino médio. Os formados poderão atuar profissionalmente na área de sua formação.

A licenciatura é um curso de nível superior que habilita para trabalhar em ambientes educacionais, em todos os níveis de ensino (educação infantil, ensino fundamental, médio ou superior). Os professores do ensino fundamental e médio são licenciados, ou seja, concluíram um curso de licenciatura.

Os cursos superiores de tecnologia são graduações de nível superior oferecidas para quem já concluiu o ensino médio. Esse tipo de curso tem como característica o estudo aprofundado de uma determinada área, a fim de atender a demandas específicas do mundo do trabalho. A carga horária pode variar conforme o curso escolhido, mas geralmente é mais curta do que a dos cursos de bacharelado e de licenciatura (que também são cursos superiores de graduação). Quem conclui é profissional de nível superior, denominado tecnólogo.

Sim. Caso não haja conflito de horários e o candidato seja aprovado nos dois processos de seleção, poderá fazer um curso técnico subsequente ao ensino médio e um curso superior no IFRS.

O ensino médio com um técnico integrado dá a formação de nível médio e técnica profissionalizante ao mesmo tempo no IFRS e os cursos técnicos concomitantes ao ensino médio são para quem está no ensino médio em outra instituição de ensino. A seleção de estudantes para os cursos desse tipo será por uma prova aplicada pelo IFRS ou por sorteio (confira o cronograma para saber as datas).

A seleção para ingresso de estudantes para os cursos técnicos subsequentes ao ensino médio será por prova aplicada pelo IFRS, sorteio entre os inscritos ou pela nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem – poderá ser usada a nota desde o ano de 2017 até a atual).

A forma de ingresso nos cursos superiores será por meio da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem – poderá ser usada a nota desde o ano de 2017 até a atual) ou participando de um exame de seleção (prova aplicada pelo IFRS). O IFRS não participa do Sisu.

Os candidatos poderão concorrer com a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2017 até a atual (incluindo as notas do exame realizado em 2022). Basta informar o ano escolhido no momento da inscrição.

Ao se inscrever para cursos técnicos integrados, subsequente e concomitantes ao ensino médio, poderá haver a opção de seleção de estudantes por por sorteio público. O sorteio será eletrônico, ou seja, será realizado a partir de um sistema de informática. Nesse sistema, é colocada a lista com o nome dos candidatos. O sistema transforma cada nome em um número e então, quando o botão “Realizar o sorteio” for acionado, o sistema fará automaticamente uma classificação desses números, colocando-os em uma ordem. A lista que vai aparecer na tela como resultado final já vai ser convertida nos nomes dos candidatos, classificados conforme a quantidade de vagas em cada cota.
O sorteio é transmitido pelo canal IFRS-Oficial no YouTube.

O Ministério da Educação (MEC) determina a necessidade de realização de prova ou então a utilização da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para o ingresso em cursos superiores. Essa normativa está na Portaria nº 391/2002 do MEC. O ingresso nos cursos de graduação no IFRS poderá ser pela nota do Enem (a partir de 2016), por exame de seleção (prova aplicada pelo IFRS) ou concorrem nas duas formas: nota do Enem e exame de seleção. Confira os detalhes nos editais.

Pode, mas em cursos de níveis diferentes. Por exemplo: você pode se inscrever para um curso técnico subsequente ao ensino médio (ou seja, para quem já tem ensino médio completo) no Campus Restinga e para um curso superior no Campus Porto Alegre. Mas não pode se inscrever para dois cursos superiores, nem mesmo de campi diferentes, por exemplo.

Cada candidato pode concorrer a apenas um curso por tipo. Porém, é possível concorrer em cursos de diferentes tipos, desde que o candidato cumpra os requisitos para ingresso no curso. Por exemplo, um estudante que já concluiu o ensino médio pode concorrer para um curso técnico subsequente ao ensino médio e para um de graduação.

Para efetuar a inscrição no Processo Seletivo do IFRS, o candidato deve acessar o site ingresso.ifrs.edu.br, ler o edital com atenção, acessar e preencher o formulário eletrônico de inscrição. Esse formulário pode ser acessado a partir do menu na capa do site do Processo Seletivo a partir do início das inscrições.

A etapa de inscrições será feita de forma exclusivamente virtual, via internet, mas são disponibilizados computadores nos campi do IFRS para efetuar as inscrições. Confira os endereços e os horários de atendimento na página Informações/Conheça os campi deste site.

O ensino no IFRS é gratuito. Não são cobradas taxas de matrícula ou mensalidades. No entanto, assim como em outros processos seletivos para ingresso em instituição pública de ensino (como o Enem), o IFRS cobra uma taxa de inscrição no Processo Seletivo de estudantes devido aos custos com material de divulgação, bancas para análises socioeconômicas ou heteroidentificação, envios de mensagens a candidatos etc. Nos casos em que há a aplicação de provas, há ainda o custo de elaboração e impressão, pagamentos de fiscais, limpeza de locais de prova, entre outros. Os recursos arrecadados com as taxas de inscrição são utilizados unicamente nos processos seletivos de estudantes.

Como nem todos os candidatos podem pagar a taxa de inscrição, o IFRS divulga o Edital de Isenção de taxa, para quem precisa pedir a inscrição gratuita no processo seletivo de estudantes. Fique atento aos editais e ao cronograma.

Não. É preciso ter um CPF próprio para preencher o formulário de inscrição e efetuar a sua matrícula. Não pode ser dos pais ou responsáveis.

Não. É preciso ter RG próprio para preenchimento do formulário de inscrição e efetuar a sua matrícula. Não pode ser dos pais ou responsáveis.

No formulário de inscrições, quando é solicitada a renda familiar, você deve somar o valor recebido mensalmente por todos que moram em sua casa ou dividem as despesas (salário mensal e/ou estimativa de valor recebido mensalmente como autônomo e/ou valor mensal de pensão, por exemplo). O valor a ser informado é o bruto, ou seja, aquele antes dos descontos pelo empregador para pagar impostos ou outras despesas.

Depois, você deve dividir o valor total bruto pelo número de membros da família. Para chegar a esse número, contabilize as pessoas que considerou para o cálculo da renda familiar e outros que podem residir ou depender desse valor (por exemplo crianças, idosos, bebês).

Uma das formas consideradas na reserva de vagas é a renda familiar bruta mensal igual ou inferior a 1,5 (um e meio) salário mínimo por pessoa – o que equivale a R$ 1.818,00 por pessoa. A confirmação e a comprovação da renda familiar será feita após a classificação do candidato, com base nas informações prestadas e nos documentos fornecidos eletronicamente.

Não. É importante que você fique atento na hora de preencher todos os dados, principalmente a opção pelo curso e campus. Uma vez feita a inscrição, essa não poderá ser alterada. Caso você necessite, terá de cancelar a inscrição e realizar outra.

Uma vez preenchido e enviado o formulário, você não conseguirá alterar a sua inscrição. Caso verifique erros no preenchimento ou deseje efetuar inscrição diferente, é possível, por meio do sistema de inscrições, cancelar a inscrição incorreta e efetuar uma nova.

Sim. O sistema envia automaticamente um e-mail de confirmação do recebimento da inscrição. O envio é feito para o e-mail informado por você no formulário. Conforme cronograma das etapas do Processo Seletivo, o IFRS divulgará a lista oficial de candidatos corretamente inscritos, ou seja, aqueles que preencheram o formulário com todas as informações necessárias.

Se você se enquadra em algum dos critérios para concorrer às vagas reservadas (também conhecidas por cotas), terá mais chances se concorrer pela reserva de vagas. Isso porque primeiro você concorrerá na classificação geral e, caso não seja aprovado pela ampla concorrência, ainda tem chance de ser aprovado pelo sistema de reserva de vagas.

Todos concorrem pelo acesso universal. Quem se inscreveu para concorrer por algum tipo de cota, primeiro concorre pelo acesso universal e, caso não fique classificado, concorrerá pela cota na qual se inscreveu.

Para o caso dos cursos técnicos integrados e subsequentes ao ensino médio, o candidato precisa ter estudado todo o ensino fundamental em escola pública. Para os cursos técnicos concomitantes ao ensino médio, precisa estar cursando o ensino médio em escola pública ou privada e ter estudado todo ensino fundamental em escola pública. Por fim, para os cursos superiores, o requisito é ter feito todo o ensino médio em escola pública.

Os procedimentos de comprovação são informados no Edital e o envio de documentação é todo on-line.

Heteroidentificação é um método de identificação étnico-racial de um indivíduo a partir da percepção social de outra pessoa (assista a estes vídeos para saber mais).

No Processo Seletivo de estudantes do IFRS, depois de passar pela seleção, serem aprovados e chamados para pré-matrículas, os candidatos que na inscrição se autodeclararem negros (pretos ou pardos) deverão ter a sua autodeclaração verificada por um grupo de pessoas que compõem a “comissão de heteroidentificação do IFRS”. Isso tudo antes da matrícula.

Como ocorre: Na inscrição do Processo Seletivo pelo sistema eletrônico, o candidato deverá preencher o formulário com a autodeclaração e a autorização de imagem. Após o período de inscrições, serão publicadas chamadas de heteroidentificação. Os candidatos convocados deverão comparecer ao local, no dia e horário determinado na chamada. Lá, será solicitado o documento de identificação atualizado com foto. A comissão de heteroidentificação utilizará, exclusivamente, o critério fenótipo (ou seja, características físicas observáveis) para conferir a condição declarada (conforme a Portaria nº 04/2018 do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e a Instrução Normativa nº 01/2021 do IFRS).

A autodeclaração poderá ser aceita (deferida) ou não (indeferida). Caso seja indeferida, haverá um período para os candidatos apresentarem recurso. É importante acompanhar as datas no cronograma.

Vale lembrar também que mesmo que a Comissão de Heteroidentificação concorde com a autodeclaração racial, os candidatos precisam seguir os demais procedimentos constantes nos editais para efetivar a matrícula.

Todas as instruções para a matrícula estão escritas no edital do processo seletivo, incluindo a documentação. Dedique um tempo para ler o edital com atenção.

Importante: O candidato que não efetuar a matrícula ou não apresentar toda a documentação exigida perderá o direito à vaga.

Não, as matrículas serão feitas de forma on-line. Os procedimentos para envio, verificação de toda documentação e matrícula dos aprovados estão disponíveis no edital do Processo Seletivo.

As datas de início das aulas serão divulgadas posteriormente por cada campus. Consulte os canais de comunicação do IFRS e do campus em que você se inscreveu para acompanhar essa e outras informações.

Não. Os cursos de pós-graduação, como especializações e mestrados, possuem editais próprios de seleção. Para saber mais, acesse: https://ifrs.edu.br/pesquisa-pos-graduacao-e-inovacao/pos-graduacao/apresentacao/

Neste caso, você pode entrar em contato por meio das nossas redes sociais (Facebook/IFRSOficial e Instagram/IFRSOficial), escrever um e-mail para processoseletivo@ifrs.edu.br ou ainda fazer contato diretamente com o campus de interesse, acessando aqui os e-mails, telefones e endereços.